“FLORITA trouxe união e consolidação para a nossa comunidade. O dinheiro acaba, mas esse projeto viverá para sempre. Essa é a importância dessa coleção para nós.”

– José Nilson Sabóia Kaxinawá, herdeiro do povo Huni Kuin do Rio Humaitá

ANAHATA é uma jornada íntima e sagrada  pelo quarto chakra. Uma re-invenção do que significa fundir espírito, identidade e significado em nossas peças. Uma lição de amor, bondade e equilíbrio. Um chamado para transcendermos nossos egos e nos tornarmos vivos.

FLORITA convida você para descobrir nossa nova coleção de kaftans, camisetas e camisas pintadas a mão que foram exclusivamente feitas em colaboração com as mulheres Huni Kuin do Rio Humaitá, no Acre, Brasil. ANAHATA é feita de tecidos de coleções passadas seguindo o estilo e princípio da FLORITA e comprometimento com a sustentabilidade.

Em um processo orgânico, a Diretora Criativa Julia Almeida-Bailey sentiu um chamado para colaborar com as comunidades indígenas do Brasil – para mergulhar mais profundamente na comunidade brasileira e também honrar seu passado e herança. Essa jornada é completamente pessoal: a avó de Julia era uma mulher indígena da Bolívia.

Em sua procura por seu passado ancestral, Julia foi colocada em contato com a Tribo Huni Kuin, da Aldeia São Vicente do Rio Humaitá, com 146 pessoas vivendo ali e somente acessada por barco. A capital, Rio Branco, é uma distante jornada de quatro dias. O povo Huni Kuin fala a língua Kaxinawá, com um pouco de conhecimento do português. Amê é um dos líderes da vila, que foi nomeada em homenagem ao seu pai, Vicente Saboya, e é a ponte entre a FLORITA e as mulheres Huni Kuin.

Nessa sociedade patriarcal, homens e mulheres têm funções claramente definidas no trabalho e casamento. Enquanto os homens pescam para a vila – as 65 mulheres na vila se certificam de que a vida continue estável.

As mulheres Huni Kuin são artesãs excepcionais. Elas são criadoras, fazedoras e sonhadoras. São pintoras – criando pigmentos e tintas de materiais locais usando um conhecimento cultural que é passado de geração em geração.

Nessa exclusiva colaboração com a FLORITA, as mulheres Huni Kuin pintaram designs únicos nas peças, criando símbolos enraizados em energia espiritual. Suas inspirações vêm de sonhos que tiveram após consumir o tradicional ayahuasca, uma bebida psicodélica, e entrar em transe. Isso reforça a criatividade delas – o resultado é sagrado.

O Processo

Nesse momento de incerteza, FLORITA adaptou o processo criativo para operar e produzir essa coleção de forma responsável. 200 máscaras foram enviadas para a vila e as mulheres foram instruídas sobre medidas de segurança em relação ao COVID-19.

Com mensagens diárias e chamadas por vídeo semanalmente, o time da FLORITA foi capaz de acompanhar toda a produção e também aprender mais profundamente sobre a cultura Huni Kuin através de Amê.

Trabalhar online provou ser uma experiência desafiadora e recompensadora tanto para o time da FLORITA quanto para o povo Huni Kuin. Por causa da atual situação, essa coleção foi criada para ser exclusivamente online.

Artesã trabalhando em um de nossos produtos

As Mulheres

As mulheres são partes integrais da sociedade Huni Kuin. Enquanto os homens caçam, pescam e alguns até viajam – a maior parte do trabalho doméstico é das mulheres. Elas apoiam suas comunidades e famílias com amor incondicional e trabalhos domésticos, enquanto ainda acham tempo para criar – são pintoras, ceramistas e artistas.

Antes de trabalhar com a FLORITA, as mulheres tinham que pedir permissão para os maridos. Quando a permissão foi dada, as mulheres participaram de ligações semanais e encontros online com o time da FLORITA para começar o processo criativo.

Através dessa colaboração com a FLORITA, as mulheres receberam diretamente em suas contas bancárias pela primeira vez. FLORITA está diretamente impactando a vida de 7 das 22 famílias da vila. FLORITA está orgulhosa de apoiar as mulheres Huni Kuin e mostrar suas habilidades excepcionais para uma audiência global.

Biruaní, Maria da Liberdade, fotografada por Amelia Karlsen para nossa campanha online

 A Coleção

ANAHATA afirma o comprometimento da FLORITA em explorar diferentes culturas e também apoiar artesãos pelo Brasil. Essa coleção também mostra uma nova direção para a FLORITA enquanto a marca continua a evoluir suas pegadas ecológicas. Desse momento em diante, a FLORITA é agora uma marca livre de desperdícios.

Esta é uma coleção exclusiva com 50 peças. Cada peça na ANAHATA é feita de materiais das coleções passadas, usando inovação e criatividade.

A Internet foi extremamente importante, já que nossas peças já estavam no Acre quando a pandemia ocorreu, a equipe teve que ajustar rapidamente a produção e a criatividade através da tecnologia para materializá-la. ANAHATA aconteceu em um link entre Londres – Rio de Janeiro – Acre.

Gerliane e Saiara, teste de mídia social durante um de nossos encontros semanais.

Processo de Coloração + tags:

Para a tinta, são usados: Anelina da floresta, urucum, casca de aguano, safor extraído do bulbo da planta e leite de seringueira para selar a tinta.

Esse é um processo natural parte da cultura e rituais de rotina dos Huni Kuin. É o mesmo processo que eles usam para fazer as tintas corporais e suas próprias roupas de festivais.

As tags que vão em cada peça são feitas com o mesmo processo em um estúdio no Rio de Janeiro que só trabalha com ingredientes naturais como pigmentos e corantes orgânicos usados no processo. As tags também foram feitas com tecido reutilizado da coleção passada. Cada peça é numerada e foi assinada pelas artesãs através de assinatura digital durante os encontros online para proteger o povo Huni Kuin de qualquer infecção de COVID-19.

Mulher Huni Kuin criando um kaftan para ANAHATA

Conheça as artesãs 
@floritabeachwear